Uma campanha contra o racismo nas passarelas

Por Maya Santana
As três negras mais importantes do mundo da moda: Naomi Campbell, Bethann Hardison e Iman

Naomi Campbell, Bethann Hardison e Iman: unidas contra o preconceito

O racismo, como todo preconceito, é odioso. Mas, mesmo com toda a campanha feita no mundo, ele persiste através dos séculos, sobretudo o preconceito de cor, que se manifesta em todas as áreas. Na moda, não é diferente, tanto aqui no Brasil como lá fora: ainda são muito poucas as grifes que escalam modelos negras para os desfiles. Por isso, as três negras mais poderosas do mundo da moda – Naomi Campbell, Bethann Hardison e Iman Abdulmajid – se uniram e estão colocando a boca no mundo, denunciando racismo por trás da atitude dos estilistas.

Leia o artigo publicado pela revista Exame:

Em 1973 foi apresentado no palácio de Versalhes o primeiro desfile com ampla presença de modelos negra e, já nos 80 e 90, Imán Abdulmajid e Naomi Campbell eram as manequins mais bem pagas: por que, então, não se completou a normalização e se continua falando em pleno século 21 de racismo nas passarelas?

A modelo britânica é uma da poucas negras de sucesso no mundo da moda

A modelo britânica, 43 anos, é uma da poucas negras de sucesso no mundo da moda

Há alguns dias, Naomi Campbell, apelidada como a Deusa de Ébano, fechou o desfile de Diane Von Furstenberg na Semana da Moda de Nova York e deixou a concorrência difícil para as demais modelos.

Além de sua amizade com o estilista belga, Campbell representou o apelo que Von Fustenberg, como presidente do Conselho de Estilistas de Moda dos Estados Unidos, tinha feito pela diversidade na seleção de modelos há cinco anos e que, nos dias de hoje, continua sem efeito.

A bela Iman Abdulmajid, 58 anos, nascida na Somália, é outra engajada na campanha

A bela africana Iman Abdulmajid, 58 anos, nascida na Somália

Apoiada em números da edição anterior da semana de moda nova-iorquina (na qual apenas 6% das modelos foram negras, contra 82,7% de brancas) dias depois, Naomi Campbell, junto com sua predecessora no mundo das top models negras, Imán, e a diretora de uma agência de modelos, Bethann Hardison, publicaram uma carta aberta falando do ‘ato racista’ na moda.

Nesta denunciaram estilistas como Calvin Klein, Donna Karan e Armani, que usam apenas uma, ou até nenhuma modelo negra em seus desfiles e acusaram o mundo da moda de ter se acomodado em sua luta contra a igualdade.
‘Retrocedemos’, disse Imán em uma entrevista à rede de televisão ‘ABC’. Clique aqui para ler mais.

Veja a entrevista sobre o assunto dada por Naomi Campbell à BBC Brasil:


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais