fbpx

Tempo de recordar: 5 anos sem Mercedes Sosa

Por Maya Santana

Mercedes Sosa  morreu em Buenos Aires, aos 74 anos de idade, de problemas renais

Mercedes Sosa morreu em Buenos Aires, aos 74 anos de idade

Neste sábado, completa cinco anos que a cantora Mercedes Sosa, símbolo da luta contra as ditaduras militares na América do Sul, morreu, aos 74 anos de idade. Mercedes tornou-se uma lenda ainda em vida. Quando morreu, em 4 de outubro de 2009, seu corpo foi velado na sede do Congresso Nacional, em Buenos Aires, dando aos argentinos a oportunidade de se despedir de uma de suas artistas mais queridas. O governo da Argentina declarou luto oficial durante três dias.

Mercedes Sosa também foi chamada de “voz de uma maioria silenciosa”, por lutar não só por liberdade política, mas pelos direitos dos menos favorecidos. Gravou da chilena Violeta Parra a música “Gracias a la Vida”, que acabou se transformando em uma espécie de hino da esquerda no mundo inteiro, inclusive no Brasil, nas décadas de 1970 e 1980, quando foi forçada a exilar-se na Europa e os seus discos foram proibidos. “La Negra”, como também era conhecida, voltou à Argentina em 1982, na fase final da ditadura.

A cantora trabalhou com vários artistas brasileiros, entre eles, Milton Nascimento, Chico Buarque, Caetano Veloso, Fagner, Daniela Mercury e Beth Carvalho. Mercedes Sosa era uma figura tão respeitada no Brasil que, um dia depois de sua morte, de problemas renais, em Buenos Aires, o ministério da Cultura veiculou, através do jornal O Globo um texto expressando toda a admiração dos brasileiros pela artista argentina:

“Habitualmente de costas para a música de “nuestros hermanos” latino-americanos, o Brasil começou a despertar para a riqueza da voz de Mercedes Sosa em 1976, após um dueto da cantora argentina com Milton Nascimento.

A faixa “Volver a los 17″, da compositora chilena Violeta Parra – de quem Mercedes foi uma das principais intérpretes -, virou um dos maiores destaques do hoje clássico álbum “Geraes”. A partir daí, a barreira da língua não mais impediu que brasileiros se apaixonassem pelo marcante timbre de contralto de Mercedes Sosa.”

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

oito + dezenove =

1 Comentários

Avatar
monica minelli 6 de outubro de 2014 - 19:15

Saudades !!! Que Dama. bj

Responder