fbpx

Veja como a realidade virtual pode ajudar os idosos

Por Maya Santana

Uma senhora usando óculos de realidade virtual

Uma senhora usando óculos de realidade virtual

Maya Santana, 50emais

Sensacional este artigo de Ligia Aguilhar, publicado no Estadão, mostrando o que está sendo desenvolvido no mundo, em termos de tecnologia, para tornar a velhice um período da vida mais prazeroso. A grande aposta é a chamada realidade virtual, que pode fazer maravilhas, inclusive para quem não dispôe de muito dinheiro.

Leia:

A discussão sobre a Reforma da Previdência me fez refletir bastante sobre o envelhecimento da população em vários países do mundo e como não estamos nos preparando para lidar com essa mudança.

Segundo o IBGE, a população idosa vai triplicar nas próximas décadas e passará de 19,6 milhões (10% da população brasileira), em 2010, para 66,5 milhões de pessoas, em 2050 (29,3%).

Junto com o envelhecimento da população, estima-se que o número de pacientes que sofrem em todo o mundo com doenças como Alzheimer e Demência vá dobrar dos atuais 35,5 milhões para 65,7 milhões em 2030, segundo o Relatório de 2012 da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Meu pai é um dos idosos brasileiros que sofre com demência e a dificuldade para encontrar profissionais e instituições preparadas para tratar desse problema (além do alto custo envolvido em qualquer tratamento) foi um dos choques de realidade que eu tive desde que minha família recebeu o triste diagnóstico da doença há 4 anos.

Por causa dele, comecei a conviver com outros idosos que enfrentam situações semelhantes e a perceber que além da questão da saúde em si, esse idosos enfrentam outros desafios como falta de acesso à entretenimento, falta de acesso à atividades que estimulem o cérebro e a solidão.

Foi por isso que me chamou a atenção quando descobri, recentemente, que entre diversas pesquisas sendo realizadas na área de saúde, uma tecnologia inesperada tem emergido como potencial ferramenta para ajudar idosos a navegar os desafios da terceira idade. Trata-se da realidade virtual.

Como a realidade virtual pode ajudar idosos

Aqui nos EUA, há diversos pesquisadores e empresas criando soluções para idosos usando realidade virtual.

Uma delas é a startup Rendever, criada por dois estudantes do MIT. A empresa quer ajudar idosos com limitações financeiras e de locomoção a viajar pelo mundo durante a terceira idade por meio da realidade virtual.

A startup defende que, além dos benefícios sociais, a ferramenta ajuda estimular a função cerebral e promove um sentimento de realização nos usuários.

Veja o vídeo (em inglês) de como a tecnologia funciona. Não tem como não se derreter.

A empreendedora Sonya Kim também está investindo em realidade virtual para idosos. Sua empresa, criadora de uma solução chamada Aloha VR, desenvolve filmes que misturam belas paisagens, música e textos para transportar pacientes idosos para outra realidade, ao menos por alguns minutos.

O objetivo é ajudar os usuários a relaxarem, estimular o cérebro e oferecer uma alternativa para as diversas horas em frente a TV. “(A realidade virtual) permite que eles esqueçam dores crônicas, ansiedade e o fato de que eles estão sozinhos”, disse Sonya em uma entrevista à NPR. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

2 + 4 =

1 Comentários

Avatar
Márcio 21 de janeiro de 2017 - 21:34

Muito interessante e promissor!

Responder