Você janta perto da hora de dormir? Veja os riscos que corre

Estudos mostram que consumir alimentos antes de dormir pode levar a diversos transtornos, de impacto na pressão arterial a problemas digestivos
Estudos mostram que consumir alimentos antes de dormir pode levar a diversos transtornos, de impacto na pressão arterial a problemas digestivos

Maya Santana, 50emais

Esta é uma dúvida que muita gente tem: comer antes de dormir faz mesmo mal? Esse artigo, publicado pelo portal G1, é sobre os resultados de um estudo mostrando que faz mal sim. Aparentemente, quanto mais perto da hora de ir dormir você se alimentar, sobretudo se for comida pesada, mais afeta o organismo, alterando, por exemplo, a pressão arterial. O ideal, segundo especialistas, é que a gente se alimente bem mais cedo. de preferência antes das 7h da noite. Se você é desses, ou dessas, que come sem culpa à noite, este artigo é para você.

Leia:

Para muita gente, especialmente quem passa o dia fora de casa, no trabalho ou estudando, o jantar se transformou na principal refeição do dia.
Especialistas dizem, no entanto, que comer à noite – especialmente quando a refeição é farta e realizada perto da hora de dormir – pode alterar o organismo e os processos digestivos.

Um estudo realizado com 700 adultos e apresentado em congresso recente da Sociedade Europeia de Cardiologia analisou a relação entre as horas nas quais se consome alimentos e os efeitos no organismo.

A pesquisa constatou que ingerir alimentos tarde da noite gera um impacto significativo na pressão arterial. Durante a noite, o processo fisiológico normal é a queda da pressão arterial.

Porém, o estudo descobriu que 24,2% dos participantes que comeram até duas horas antes de dormir não registraram uma queda adequada da pressão sanguínea.
Entre os que haviam jantado mais cedo, a porcentagem foi de 14,2%.
“Estado de alerta”

Segundo especialistas, consumir alimentos antes de dormir faz com que o organismo permaneça em “estado de alerta”, no qual estimula a produção de hormônios do estresse, como a adrenalina, e pode alterar o ritmo circardiano, o ritmo diário do organismo.

Ebru Ozpelit, professora de Cardiologia da Universidade de Dokuz (Turquia), que apresentou o estudo, disse que os resultados sugerem que o que se come é tão importante quanto o tipo de alimentos que se ingere.

Ozpelit disse que a vida moderna está criando “hábitos de alimentação erráticos”, como o de pular o café da manhã e comer cada vez mais tarde. Tais práticas, afirma, estão se tornando cada vez mais frequentes e podem causar danos ao longo do tempo.

“Devemos definir a frequência ideal e a hora dos alimentos”, afirma Ozpelit.

“O café da manhã é importante, devemos tomar um café da manhã forte e não pular o almoço. Devemos fazer um jantar mais leve e ele não deve ser depois das sete da noite”, afirmou.

Obesidade

Os especialistas afirmam que o corpo humano não está preparado para enfrentar muitos dos aspectos da vida moderna.

Com a chegada da luz artificial e a industrialização, os humanos modernos começaram a experimentar horas prolongadas de iluminação. Isso levou a um consumo estendido de alimentos e ao consumo de alimentos cada vez mais tarde no dia.

Sandra Hirsch, especialista em nutrição humana pelo Instituto de Nutrição e Tecnologia de Alimentos da Universidade do Chile, afirma que as refeições noturnas podem ter efeitos adversos no organismo.

“Quando alguém come, uma série de processos metabólicos se desenvolve”, disse a especialista à BBC Mundo. Clique aqui para ler mais.

close

Inscreva-se para receber conteúdo incrível em sua caixa de entrada, todas as semanas

Prometemos que nunca faremos spam! Dê uma olhada em nossa Política de Privacidade para mais informações.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + 16 =

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo