fbpx

Wagner Moura une-se à OIT na luta contra a escravidão moderna

Por Maya Santana

O ator baiano, 39, engaja-se em mais uma grande causa social

O ator baiano, 39, engaja-se em mais uma causa social de grande alcance

Mais um ponto para o grande ator Wagner Moura. Ele acaba de ser nomeado embaixador da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e vai ajudar a divulgar uma campanha mundial em favor do novo protocolo contra o trabalho escravo. Dados da OIT mostram que 21 milhões de pessoas no mundo são vítimas da chamada escravidão moderna. Quase dois milhões só na América Latina. A OIT vem lutando para acabar com esse mercado, que movimenta anualmente o equivalente a mais de 500 bilhões de reais. Com essa campanha, a organização pretende conseguir que 50 países se comprometam com o novo protocolo para a erradicação de vez do trabalho forçado.

Conhecido pelo seu extraordinário trabalho como ator e pela sua seriedade, Wagner já havia se engajado à luta da OIT contra o trabalho infantil, que ainda é um problema grave no Brasil assim como o trabalho forçado. “Eu acredito que a escravidão moderna é a agressão mais escandalosa aos direitos de um indivíduo”, afirmou o novo embaixador em entrevista à rádio ONU, em Nova York, acrescentando: “Precisamos de um novo instrumento internacional na luta para acabar com a escravidão moderna e precisamos que mais países ratifiquem (o protocolo) o mais rápido possível.”

Para Márcia Poole, diretora de comunicação da OIT, Wagner Moura só vai acrescentar ao trabalho da organização: “A sua sólida reputação como um ativista de direitos humanos e a sua reputação no Brasil, e, de forma crescente, no cenário internacional, significa que teremos um poderoso defensor nos ajudando a fazer com que a nossa mensagem chegue a aqueles que podem mudar as coisas e conectar pessoas, principalmente os mais jovens.”

Veja a entrevista desse ator digno de todos os elogios:

No próximo dia 28 de agosto, estreia a série Narcos, da Netflix, na qual Wagner Moura interpreta o barão da droga colombiano Pablo Escobar.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

três × 5 =