fbpx

Yoko Ono completa 80 anos ainda muito ativa

Por Maya Santana

A ex-mulher de John Lennon aniversariou nesta segunda feira

A ex-mulher de John Lennon tornou-se octagenária nesta segunda feira

Yoko Ono completa 80 anos nesta segunda-feira (18) sem que a idade detenha seu trabalho artístico e seu ativismo, que nos últimos meses esteve centrado na luta contra o “fracking”, discutida técnica de extração de hidrocarbonetos, e na defesa do fundador do Wikileaks, Julian Assange.

Artista plástica, música e cineasta de vanguarda, ativista e viúva ilustre de John Lennon, Yoko Ono vive em Nova York desde 1951 e a passagem do tempo não diminuiu sua energia, já que nos últimos meses também manteve uma intensa atividade. Yoko celebrará seu aniversário com um show na famosa sala Volksbühne de Berlim, na qual se apresentará junto com a Plastic Ono Band, liderada por seu filho Sean Lennon.

Por ocasião de seu aniversário, seus fãs poderão felicitá-la ou deixar mensagens no site www.imaginepeacetower.com ou via Twitter, onde Yoko tem 3,4 milhões de seguidores e escreve frequentes mensagens – uma das últimas, neste sábado, era: “É muito importante que busquemos a verdade em nosso trabalho artístico. Pode mudar o mundo sendo você mesmo”.

Nascida em Tóquio em 18 de fevereiro de 1933, Yoko Ono ganhou muita importância nos últimos meses na vida nova-iorquina por sua intensa militância contra o “fracking”, o processo pelo qual camadas muito profundas de rochas do subsolo são perfuradas com a pressão da água acompanhada de produtos químicos que desgastam o mineral e permitem chegar a bolsas de gás natural e petróleo até então impossíveis de extrair.

Com o filho Sean, que vai completar 38 anos em outubro

Com o filho Sean, que vai completar 38 anos em outubro

Este método revolucionou nos últimos anos a produção de hidrocarbonetos nos Estados Unidos, mas seus críticos acreditam que os produtos usados no procedimento e na dificuldade de carimbar perfeitamente as bolsas em grande profundidade poluem as águas subterrâneas e geram vazamentos de gases do efeito estufa. Yoko Ono foi a líder deste movimento em Nova York e promoveu a iniciativa “Artistas contra o fracking” (que reúne 200 nomes de primeira linha: de Susan Sarandon e Richard Gere até Lady Gaga e Anne Hathaway).

A ativa campanha de Yoko e do grupo, com manifestações, anúncios, recolhimento de assinaturas e artigos de imprensa, contribuiu para que o governador de Nova York, Andrew Cuomo, anunciasse na semana passada uma moratória na decisão de autorizar esta técnica no estado até avaliar mais a fundo suas consequências. Yoko Ono também se envolveu ativamente no apoio ao fundador do Wikileaks, Julian Assange, atualmente refugiado na embaixada do Equador em Londres para evitar sua extradição à Suécia, que lhe reivindica por denúncias de abuso sexual.  Leia mais em http://migre.me/djIbb

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

4 × 1 =