Depois dos 60 anos, elas decidiram viajar para conhecer o mundo

Iracema, 67,durante passagem pela Rússia: ela sonhou em viajar a vida inteira, mas só conseguiu fazê-lo depois de se aposentar

Maya Santana, 50emais

Herdei da minha mãe o fascínio pelas viagens. Desde bem jovem, o meu grande sonho era viajar. Mais tarde, morei no exterior e viajei muito. A última vez em que me aventurei sozinha foi em 2002. Fui à Itália e à Rússia. Depois dessas experiências, passei a não achar mais tão bom viajar apenas em minha companhia. Não gosto mais. Mas há um número cada vez maior de mulheres, depois de aposentadas, quando não precisam mais cuidar dos filhos nem de ninguém, que decidem conhecer o mundo e partem em viagens solitárias para os mais diferentes lugares do planeta. É gente corajosa, aventureira. Nesta reportagem de Vinícius Lemos, da BBC Brasil, você vai conhecer a história de três dessas mulheres.

Leia:

A rotina de Iracema Genecco, de 67 anos, foi cansativa durante a juventude. Ela costumava acumular dois ou três empregos no jornalismo para criar a filha única e ainda fazia horas extras, para aumentar a renda. Logo que conseguiu se aposentar, aos 60 anos, viajou para diversas regiões da Europa. Encantada com a chance de conhecer novos lugares, tornou-se mochileira.

A história de Iracema assemelha-se à de Vera Lúcia Andrade, de 69 anos, e Flora Contin, de 65. Elas passaram a juventude revezando entre os cuidados com a família e o trabalho. Depois de conquistarem a aposentadoria, decidiram fazer mochilões – viagens de baixo custo e com pouco ou nenhum luxo.

Nas bagagens – carregadas em mochilas ou malas -, cada uma delas levava roupas, itens de higiene pessoal e o sonho de viagens que haviam adiado por tantas décadas.

Vera Lúcia realizou primeiro mochilão aos 69 anos e sonha com novas viagens

“Entre as boas experiências que guardo das viagens, a maior de todas é a descoberta de que devemos viver o momento presente da melhor forma possível, pois não conhecemos o futuro e o passado nunca será recuperado”, diz Iracema, que fez seu primeiro mochilão em 2011.

Iracema, Vera e Flora estão em uma faixa etária cada vez mais numerosa no Brasil. Em 1991, a população brasileira acima dos 60 anos contabilizava 10,7 milhões de pessoas. O número mais do que dobrou 25 anos depois. Conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), os idosos correspondiam a 29,6 milhões de brasileiros em 2016.

E as mulheres são maioria: são 16,6 milhões delas, contra 13 milhões de homens acima de 60 anos.

Uma pesquisa de novembro passado do Ministério do Turismo mostrou que 31,7% dos idosos consultados tinham a intenção de viajar até maio deste ano.

O ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, pontua que o aumento da população idosa tem motivado o setor turístico a fazer adequações. “Temos que trabalhar com políticas públicas específicas e sensibilizar os prestadores de serviços turísticos para a necessidade de estarem cada vez mais preparados para atender esse público de acordo com suas especificidades”, explica à BBC Brasil.

Para Iracema, muitos idosos temem conhecer novos lugares por acreditarem que seja impossível viajar depois dos 60. “Se a pessoa tem boa saúde, gosta de caminhar bastante e tem forças para levar a mala, o resto é lucro. É importante fazer um check-up antes, com médicos e dentistas, contratar um seguro de viagem pelo período em que permanecer fora e levar medicação necessária. Tomando esses cuidados, fica tudo bem.” Clique aqui para ler mais.

close

Inscreva-se para receber conteúdo incrível em sua caixa de entrada, todas as semanas

Prometemos que nunca faremos spam! Dê uma olhada em nossa Política de Privacidade para mais informações.

36 Comentários

        1. Maria Ignez, o 50emais e a agência de viagens Céltica, de São Paulo, estão organizando uma excursão para Portugal, de 11 a 24 de maio. Ainda temos vagas. Por que você não vem conosco? Se tiver alguma dúvida, me mande o seu telefone. Ligo e a gente conversa. Mas, antes, dê uma olhada nos detalhes da viagem, como roteiro e preços: http://www.celticaviagens.com.br/portugal-de-norte-a-sul-viagem-com-maya-santana/
          Forte abraço pra você e até breve!

  1. Fazer o programa de intercâmbio na Terceira idade no exterior deixou de ser privilegio somente para jovens, ainda bem! Hoje, há programas de intercâmbio exclusivos para pessoas acima de 50 anos, o Intercâmbio Terceira Idade. Conhecidos como 50+, são programas que combinam aulas de idioma com atividades culturais e excursões, destinados aos aventureiros da melhor idade.

    Conheça a pagina da Roda Mundo Intercâmbio → https://www.rodamundo.tur.br/intercambio-para-a-terceira-idade/

  2. Farei agora em março mais uma viagem sozinha. Primeiro vou à Inglaterra ver a minha netinha e passar o meu aniversário (66 anos). Se der darei uma esticadinha ao norte da França.
    Na volta paro por uma semana em Lisboa pra comer pastéis de Belém, bacalhau e sardinhas na brasa… adoro!
    Aproveito pra bater perna, rever Caiscais e alguns lugares de Lisboa que tanto amo.
    Volto nova!

  3. ola viajo todo ano ..temos um grupo otimo …. para viagens internacionais….e um grupo menor para viagens nacionais ,, mas gostaria de conhecer pessoas deste site e trocarmos informações , agora em maio irei para grecia. abraços

    1. Maria Christina, são mulheres que saem pelo mundo sozinhas. Se você está procurando companhia para viajar, o 50emais e a Céltica, agência de viagens de São Paulo, estamos organizando uma excursão para Portugal, de 11 a 24 de maio. Ainda temos algumas vagas. Você gostaria de vir conosco? Se a resposta for sim, veja todas as informações sobre a excursão aqui: http://www.celticaviagens.com.br/portugal-de-norte-a-sul-viagem-com-maya-santana/
      Qualquer dúvida, por favor, entre em contato comigo: 21.99757-8101 ou me mande um email: maya_santana@yahoo.com.br Grande abraço para você e até breve!

  4. Viajei muito, também diminui a frequIencia quando tive filhos e eles eram crianças. Agora, estou querendo voltar a viaja mais e para lugares que nunca fui. Mas me desanimo de ir sozinha. Olhei numas agências mas também não gosto de excursão. Queria poder ir em grupos de 4 ou 6 no máximo

  5. Tenho vontade de conhecer países. Mas tenho receio de viajar sozinha (sem a Cia de uma pessoa conhecida). Gostei do que li , depoimentos e anúncios das viagens.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze + vinte =

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo