fbpx

Francesas com mais de 60 anos se juntam e criam um “anti-asilo”

Por Maya Santana

As babayagas, como são conhecidas, escolheram um modo bem peculiar de envelher. E vivem muito bem

Maya Santana, 50emais

À medida que as pessoas vão envelhecendo, elas estão criando novas formas de morar. Especialmente aquelas que, no caminho da velhice, querem continuar independentes e têm ojeriza à ideia de morar com os filhos. Esse é o caso de um grupo de mulheres na França, cujo lema mostra seu grau de independência: “Nem marido, nem patrão, nem família, nem Estado.”

Elas se uniram, todas com mais de 60 anos, e decidiram criar o lugar que consideram ideal para viver esta etapa tão especial da vida, exatamente por ser a última. Com suas próprias regras, é um tipo de moradia compartilhada, onde a independência é estimulada e o ócio desestimulado – não existe empregada ou faxineira. Elas mesmas fazem tudo. São chamadas de babayagas, uma mistura de bruxa, feiticeira e fada, ou seja, mulheres poderosas.

Leia a ótima reportagem de Márcia Bechara para a Rádio França Internacional(RFI):

Elas são divorciadas, viúvas ou solteiras. A maioria tem filhos, netos, e todas possuem mais de 60 anos. Independentes, politizadas e ativas, essas mulheres decidiram que sua velhice seria exatamente do que jeito que elas desejassem. “Nem marido, nem patrão, nem família, nem Estado” decidem no lugar delas como, onde e de que maneira envelhecer. Elas moram bem em seus estúdios modernos, pagando um aluguel baixo, criando projetos coletivos e viajando o mundo. A RFI foi conhecer a Maison des Babayagas, no município de Montreuil, na região parisiense, durante um domingo de sol de atividades coletivas.

As babaygas celebrando a vida em comunidade

Baba Yaga, na mitologia eslava e russa, significa “fada”, “bruxa”, uma feiticeira solitária de mil disfarces, velha e poderosa, que monta dragões e se traveste sem restrições de gênero, tem um séquito de filhas e que pode ser “boa e má” ao mesmo tempo. O nome não poderia ter sido melhor escolhido para este projeto criado pela fulgurante Thérèse Clerc, mítica militante feminista francesa de Maio de 68, que morreu em Paris em 2016. Clerc é um nome conhecido do movimento feminista francês, muito antes das moças irem queimar soutiens em praça pública. Seus depoimentos figuram em documentários e documentos históricos como o filme Les Vies de Thérèse, do diretor Sébastien Lifshitz, lançado em 2017 sobre a vida da ativista.

Não existe empregada nem faxineira à disposição no local. Como a maioria da população europeia, as Babayagas tomam conta da manutenção de suas moradias e das áreas em comum, como os três jardins coletivos. “Fazemos nós mesmas nossas compras, nossas refeições, lavamos nossa roupa, pintamos nossos apartamentos quando precisamos”, conta a presidente. “Este prédio em que moramos fica no centro da cidade, temos cinema, mercados à disposição, o teatro, restaurantes, o metrô fica na nossa porta. Não envelhecemos rápido aqui”, diz.

Kirsten, 75, e Catherine, 65, respectivamente a presidente e a secretária-geral da mítica Maison des Babayagas, perto de Paris

“Todo mundo fala que é preciso preparar a sua aposentadoria, é verdade. Mas quando chegamos lá, a verdade é que nos sentimos um pouco perdidos. Aqui, mesmo se não tenho amizade próxima com todas as moradoras, fazemos coisas juntas, construímos essa cabana, cuidamos do jardim, temos projeções de filmes e projetos de verão, yoga, tango. Ainda não estamos prontas para entrarmos em um Ehpad”, diz. “A verdade é que gostamos da nossa liberdade e da nossa autonomia, queremos isso até o fim, e nossa aposta aqui é envelhecer melhor, com mais qualidade”, completa Catherine, que mora há seis anos no local.

A solidariedade parece ser moeda corrente entre essas senhoras, que dividem entre si a dor e a delícia de suas escolhas pessoais. “Passamos tempo consolando companheiras que estejam passando por um momento difícil, é normal. Visitamos, tentamos levantar a moral”, diz Kerstin, que acaba de passar duas semanas de férias em Los Angeles em companhia de outra Babayaga, Catherine. Neste domingo de sol, as duas conversam com a RFI no jardim coletivo, administrado em detalhes por essas feiticeiras modernas. “A política é importante”, pontua a secretária-geral da associação. “Não podemos nos esquecer que esta casa tem o apoio da prefeitura de Montreuil, que é comunista”, diz.

“É desse jeito que eu quero viver”

“Sou divorciada. Tenho duas filhas, uma de 50 anos, e uma de 47. Eu tenho 75. Um dia, já aposentada, mas ainda trabalhando esporadicamente, vi uma reportagem sobre as Babayagas e neste momento eu disse: É assim que quero viver. Em um apartamento independente, numa associação feminista, ecologista. Era tudo o que eu sonhava”, conta Kerstin. “Sabe, não podemos viver sem projetos”, ensina a sueca, que mora há mais de 50 anos na França. “Antes de vir morar aqui, eu já era membro da associação”, conta.

“Nem marido, nem patrão, nem família, nem Estado decidem o que vou fazer da minha vida”, diz a sueca. Ela conta que, ao chegar na França, em janeiro de 1968, antes da eclosão do movimento revolucionário em maio, teve a impressão de ter “voltado à Idade Média”. “As mulheres não podiam nada”, resume a escandinava, cuja região é conhecida mundialmente pelo pioneiro empoderamento feminino, muito antes do resto da Europa. “As coisas mudaram depois, mas não foi rápido. Eu me lembro de ter 50 anos e me sentir muito melhor com francesas de 25, achava as mulheres da minha idade muito caretas aqui”, conta.

Thérèse Clerc, mítica militante feminista francesa de Maio de 68

A francesa Catherine, 10 anos mais nova, se lembra de Maio de 68. “Eu era adolescente e estava em Paris, foi um momento que me marcou bastante. A sociedade francesa na época era muito rígida, lembro que não tínhamos o direito de ir ao colégio de calça comprida, era ridículo”, conta. “O feminismo para mim é a independência absoluta. Não precisamos de um cara para construirmos nossa vida. Aqui estamos entre amigas, não estamos na ausência de ninguém, é uma escolha nossa. Nada aqui é proibido”, afirma a secretária-geral, professora aposentada.

E namorar, pode? “Pode, mas não pode morar junto”, afirma Kerstin. “O motivo é simples, a Maison des Babayagas é destinada exclusivamente a velhas de baixa renda, que não conseguem pagar seu aluguel. Quando um casal vai viver junto, somam-se também as aposentadorias, o que seria desonesto com as outras moradoras”, explica. Clique aqui para ler mais.

Leia também:

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





158 Comentários

Regina M M Ferreira 15 de setembro de 2020 - 20:19

Sério! tem que por “fada” “feiticeira” coisas sobrenaturais.
Porque não podemos ser o que somos de melhor? – humanas, amorosas, verdadeiras????
NAO É SUFICIENTE?

Responder
Maria 13 de fevereiro de 2020 - 07:30

Bom
Dia .Gostei desse projeto ,quem
Sabe …Vou procurar algumas informações para ver essa possibilidade de abri um
.maravilhoso mesmo .

Responder
Rosângela Rezende 26 de janeiro de 2020 - 12:59

Tenho o local em Angra entre a Serra e o mar. Área urbana. Meu whatsapp é 21 994134579

Responder
Maria Rosa Esteves 26 de janeiro de 2020 - 10:55

Gente, só estou tomando conhecimento desta reportagem agora, via uma amiga que também gostaria de “entrar numa dessas”. Somos do Rio de Janeiro” e temos todo interesse em nós agregar a mulheres que tenham os mesmos propósitos. Especialmente, de ndependencia em comunidade.
Por favor, se algo do tipo aparecer no horizonte, por favor, informem.
E viva nós, com nossa força e experiência!!!

Responder
Maria Rosa Esteves 26 de janeiro de 2020 - 10:14

Pessoas já muito queridas, bom dia!
Só estou sabendo desta reportagem neste momento, pelo compartilhamento de uma amiga, que tem os mesmos interesses.
Somos do Ro de Janeiro, e gostaríamos de integrar um grupo com propósitos semelhantes aos dessas maravilhosas francesas.
Alguém está capitaneado algo, nesse sentido?
Se sim, por favor, me contatem, e, se não, igualmente, gostaria, de ser contatada. Poderíamos conversar e, quem sabe, idar início a algo.
Meu telefone é 021988330333 e meu nome é Rosa.

Responder
Altamira 26 de janeiro de 2020 - 02:01

Lá cuida uma das outras , acredito que entre pessoas que fazem parte desse grupo, tem mais amor que certas pessoas da própria família, o amor seria em primeiro lugar.

Responder
Mabel 25 de janeiro de 2020 - 18:13

Eu tb adoraria que fosse perto do mar!!!

Responder
Adelaide Ribeiro Jordão 24 de janeiro de 2020 - 12:19

Adorei a ideia. Se houver avanço na iniciativa, gostaria de participar. Tenho 73 anos, vida ativa e vontade de desenvolver projetos culturais. de integração e relacionamento interpessoais. Detesto solidão.

Responder
Sonia Ferrari 24 de janeiro de 2020 - 12:18

Eu também, alguém conhece em Salvador, algo parecido????

Responder
Lidia Nobre 24 de janeiro de 2020 - 10:53

Adoro a idéia. Tenho planos de reunir as amigas da mesma faixa etária, alugar uma casa grande e morarmos juntas.

Responder
Feministas da velha-guarda administram um 'anti-asilo' na França - Greenme Brazil 17 de dezembro de 2019 - 10:59

[…] das Babayagas – em Montreuil, nos arredores de Paris. O espaço já foi chamado de “anti-asilo” pelo jornal francês Le […]

Responder
MIRIAM DE ALMEIDA GARCIA 6 de agosto de 2019 - 13:21

Adorei. Sempre tive vontade de construir com amigos um lugar assim

Responder
Alba 23 de janeiro de 2020 - 08:36

Corrigindo meu comentário Meu nome é Alba.
“Babayagas” as feministas.

Responder
Alice Costa 3 de julho de 2019 - 09:36

Que tal copiarmos essa ideia, muito boa?
Talvez a grande dificuldade estará em fazer a mente coletiva perceber que nós mulheres, somos mais do que os papéis sociais que desempenhamos ao longo da vida.

Responder
Maria Eteltraut Weber 2 de julho de 2019 - 20:02

Eu tenho interesse nessa proposta. Tenho uma casa com área grande aqui em Embú das artes na grande São Paulo. Seria ótimo compartilhar com mais senhoras.

Responder
Jurema de Holanda dias 1 de julho de 2019 - 10:41

Estou nessa tb ! Adoraria uma iniciativa dessa !!!
Seria muito mais gostoso , divertido e saudável !!

Responder
Rosângela Rezende 26 de janeiro de 2020 - 12:59

Tenho o local em Angra entre a Serra e o mar. Área urbana. Meu whatsapp é 21 994134579

Responder
Lucia 9 de junho de 2019 - 20:45

Gostaria de entrar em contato com outras interessadas em desenvolver um projeto nesses moldes, adaptado à cidade do Rio de Janeiro.
Tenho 60 anos, com formação em arquitetura e paisagismo.
Tenho um filho casado, e a maioria das amigas casadas.
Já penso em viver de uma forma assim há um tempo. Mas não achei nada do gênero aqui no Rio.
Estou disponível para formar um grupo com esse objetivo.

Lucia

Responder
Julia Figueiredo 10 de junho de 2019 - 22:49

Também gostei muito dessa ideia. Podemos amadurecer um projeto semelhante. Sou de Porto Alegre.

Responder
Maria ines 9 de junho de 2019 - 13:40

Achei fantástica essa iniciativa!
Permitam publicar!

Responder
Maria Cristina Bastos da Silva 8 de junho de 2019 - 17:55 Responder
Katia simoes 8 de junho de 2019 - 16:52

Ideia ótima! Tenho interesse , me chamo Katia , tenho 58 anos e moro em Recife .Topo em qualquer local. Vou criar um grupo no Facebook : Babayagas Brasil . Assim não nos dispersamos ! Sempre idealizei um projeto assim, mas não encontrava parceria. Vi que algumas estão como eu, então que tal discutirmos a ideia ?? Uma moradia mais ou menos coletiva, com privacidade e área de lazer comum. Vamos discutir num grupo ???? Convidem as amigas .

Responder
Sandra albuquerque 8 de junho de 2019 - 18:06

Maravilha se criar o grupo por favor me adicionem
Amei a ideia tufo de bom.

Responder
Katia Simoes 8 de junho de 2019 - 16:36

Adorei o projeto! Vamos fazer um aqui !! Li que varias pessoas têm interesse! Vamos criar um grupo e amadurecer a ideia? Moro em Recife e vou fazer 59 anos, mas vou para qualquer lugar. Até prefiro. Criei agora grupo onde possamos discutir a ideia e não nos dispersarmos!! As que tem interesse, entrem no grupo no Facebook Babayagas Brasil !! Convidem as amigas!!

Responder
Neusa Moreira Rodrigues 18 de janeiro de 2020 - 08:09

Desejo saber: meu nome: Neusa Moreira,
Sou brasileira, mais de 65 anos. Professora, advogada aposentada. Desejo, Quero passear em Paris . Sozinha e Deus. Que devo fazer para ficar nas casa das senhoras fundadoras “anti asilo” em Paris?? Por uns 10 dias
???? Seria possível?.

Responder
Katia simoes 8 de junho de 2019 - 16:22

Acho a ideia Bárbara ! Eu topo ! Se alguém for sedimentar a ideia, eu quero ! Em qualquer lugar ! Já tentei dentro do grupo de aposentadas de onde trabalhei e não houve interesse. Por que não montamos um grupo para este fim e discutirmos um projeto? Por enquanto virtual. A propósito, tenho 59 anos. Sou de Recife, mas até prefiro morar num local diferente, com clima mais frio.

Responder
helia f carvalho 8 de junho de 2019 - 21:55

eu gostaria de participar de um projeto assim mais nao sei por ode conmersar.

Responder
Rosângela Rezende 26 de janeiro de 2020 - 12:57

Tenho o lugar entrega Serra e o mar de Angra em área urbana. Meu whatsapp é 21 994134579

Responder
Gilce Almeida 8 de junho de 2019 - 12:06

Amei a idéia!!! Se souberem de alguma coisa no centro oeste me comuniquem.

Responder
maria a r carvalho 8 de junho de 2019 - 09:31

Gostaria de receber mais informações caso haja viabilidade de um projeto semelhante em São Paulo Capital.

Responder
Jurema da Silva 8 de junho de 2019 - 07:57

Bom dia . Tenho 53 anos e moro sozinha. Me separei depois de 30 anos de casada. Agora trabalho para me manter. E ainda vai demorar um pouco para eu me aposentar. Mas me preocupo com a minha terceira idade. Amei a idéia. Como faço para conhecer mais sobre o assunto.

Responder
Eliany Maria de Souza Gomes 7 de junho de 2019 - 23:48

Gostei muito da matéria. É um lugar assim q quero viver. Tenho 57 e adoraria fazer parte de um projeto assim.

Responder
Mara Silveira 7 de junho de 2019 - 18:22

É um lugar assim que quero para mim. Se alguém souber de um aqui no RJ por favor me avisem.

Responder
maria Aguirre 7 de junho de 2019 - 11:51

Gostei muito tenho interesse…como entrar em contato com voces… para construir um projeto…sempre leio sobre os que existem no Brasil, mas para mim nao contempla…por isso tenho interesse num novo projeto. obrigada

Responder
Martha 7 de junho de 2019 - 06:30

Eu moro em Salvador, tenho 58 anos e penso em morar coletivamente. E pode ser em outros lugares ou paises, pois aposentei há dois anos e pretendo viajar.

Responder
Rosângela Rezende 26 de janeiro de 2020 - 12:56

Tenho o local entre a Serra e mar em Angra. Área urbana.Meu whatsapp é 21 994134579

Responder
Shirley Melo 6 de junho de 2019 - 19:17

Tenho 72, também quero estou me convidando, moro só em Tupã SP e se for convidada vou para onde tiver possibilidade! Tenho um filho, já sem a família por ser alcoólatra e ele tem uma filha casada e um rapaz. No Texas tenho uma filha, netos e um casal de bisnetos mas não gostei de lá!

Responder
Gilda Sélia Haddad 6 de junho de 2019 - 16:06

Adorei a matéria e a idéia, tenho 61 e um grupo de amigas de infância, prima e irmã (20 + ou -), somos da mesma cidade, Baixo Guandu/ ES/Brasil, nos reunimos sempre para aniversários, cafés, passeios, viagens, festinhas e bate papos, rimos mto, comemos, dançamos, tiramos fotos, é uma delícia, vou compartilhar essa matéria com elas. Adorei.

Responder
Nédia Scheffer 5 de junho de 2019 - 21:55

Existe outra modalidade chamada colou singular. Em São Paulo já têm implantados po pessoas aposentadas da Universidade de Campinas. Pesquisem.

Responder
Marli 5 de junho de 2019 - 17:12

Amei. Em Portugal tem algumas comunidades. Mas no Brasil ainda nao conheco nenhuma. Estou pronta para me juntar com outras pessoas e montar uma comunidade.

Responder
Eni Braga 5 de junho de 2019 - 21:09

Estou me convidando!! Sugestão também de intercâmbio ,épocas de férias etc..

Responder
Tk Freire 5 de junho de 2019 - 03:15

Gente adorei essa idéia! Há algum tempo venho pensado como deve ser estimulante uma melhor idade coletiva e bem estruturada! Qualquer iniciativa nesse sentido contem comigo.

Responder
Elizabete Cruz 4 de junho de 2019 - 17:59

Na minha opinião, um lugar legal para viver a velhice tranquila seria algum lugar onde pudesse viver até o último dia de vida e não ter que acabar num asilo ou com algum familiar. Não gostei muito dessa idéia não.

Responder
Maya 4 de junho de 2019 - 17:14

très intéressant j’espère que soit qui à Paris mais dans toutes les villes de France

Responder
Jesus Mesquita 4 de junho de 2019 - 14:15

Tenho 67 anos e também gostaria de viver em um lugar assim independente

Responder
Maria Lopes 4 de junho de 2019 - 12:39

Há muito tempo que analiso hipóteses deste modelo de envelhecer com amigos,mas sempre contemplei a última fase quando a pessoa se torna dependente,com a inclusão daquilo que chamava enfermaria com parceria de apoio ao domicílio.É claro que isso torna o projecto mais complexo mas para mim não faz sentido o retorno à família só para dar trabalho quando o lema é nem Marido nem Família,,nem…pelo menos uma parceria com um lar com ingresso garantido e valor compatível com os seus rendimentos sem carregar a família!
Tenho 66 anos e continuo a procurar esse modelo de co housing e embora Portugal seja para mim o ideal,próximo do mar e da cidade,estou disponível para participar noutros projectos similares e até noutros destinos!Vou analisar melhor estas Babayagas!

Responder
Eni Braga 7 de junho de 2019 - 09:05

Oieee … td bem ! Vc já mora em portugal??? Qual local?
Estou pretendendo ir morar em Faro … o que acha??
Obrigada !

Responder
Sulamita 4 de junho de 2019 - 11:04

Amei… quero muito isso tudo

Responder
Amália Ursi 4 de junho de 2019 - 09:37

Já tenho 80 anos, já vivo sozinha e sou ativa e independente. Não sei até quando… Mas essa é a minha busca. Compartilho da ideia de que as construtoras deveriam pensar em condomínios para tais pessoas, com estrutura adequada: por exemplo, refeitório comum, bem como atividades físicas, sociais, de entretenimento, atendimento médico etc.

Responder
Graciete Batista alves 6 de junho de 2019 - 13:48

Em Campina Grande – Paraiba: vi uma reportagem sobre algo parecido.

Responder
ENILDA POITEVIN 3 de junho de 2019 - 23:59

Essa é o final de vida que idealizo para mim…viver com gente próxima mas de forma independente… com gente amiga, que pensa e sente como eu… sem competir… sem discriminações !!! Sentindo a beleza da vida em comunidade… e cada uma no seu canto, no seu espaço, trocando experiências e sempre apreendendo!!! Me avisem qdo houver algo semelhante sendo criado…quero muito ENTRAR, ajudar a construir esse universo aqui no Brasil !!!

Responder
Ana Maria C C Menezes 3 de junho de 2019 - 18:53

É o meu ideal!!!
Fazer algo comunitário mas na cidade e não na zona rural
Viver com um grupo de idosos independentes mas com privacidade para ter seu espaço!!!

Responder
Lilia 5 de junho de 2019 - 18:14

Sim , isso é o que estou tentando fazer , uma comunidade de pessoas acima de 55 anos que tem seu próprio espaço é um espaço comunitário e que seja independente fisicamente e mentalmente . Espaços para uma pessoa ou duas morarem com toda infraestrutura e espaço a ser compartilhado

Responder
Lucia 9 de junho de 2019 - 19:10

Sou do Rio, e é exatamente a forma de viver que procuro.
Até já existem incorporadores lançando tipos de colivings.
Mas são direcionados à jovens.
Essa idéia se encaixa totalmente no meu desejo.
Gostaria de deixar meu email, caso alguém aqui do Rio queira montar um grupo.
lSou arquiteta, 60 anos, um filho casado.

Responder
Míriam Oliveira e Rocha 3 de junho de 2019 - 16:31

A proposta é MUITO interessante. Estou com 67 anos e sempre me preocupei com a maneira como irei viver minhas últimas décadas. Moro em Belo Horizonte e gostaria que aqui tivesse algo parecido.

Responder
Marta Maria Angélica Pereira 6 de junho de 2019 - 23:26

Miriam Oliveira e Rocha sou de Belo Horizonte também. Quem sabe iniciamos uma conversa, pessoalmente?

Responder
Neusa p campos 3 de junho de 2019 - 16:11

Eu quero morar com voces

Responder
ENILDA POITEVIN 4 de junho de 2019 - 00:04

Eu TBÉM quero… me avisem! Já estou bem na idade de querer morar em comunidade, compartilhando e auxiliando no que for preciso !!!

Responder
ENILDA POITEVIN 26 de janeiro de 2020 - 12:12

Sempre penso nisso…daqui três anos vou me aposentar e gostaria de morar no litoral… poderia ser TORRES…Que tal pensarmos numa Cooperativa Imobiliária que fizesse um condomínio nesse modelo francês…?!? Ou talvez num modelo parecido, com novas adaptações… me chamem, por favor, vou ao encontro de pessoas interessadas nesse projeto… VAMOS TOCAR PRA FRENTE ISSO…?

Responder
Heloisa Biancardi Protti 3 de junho de 2019 - 14:18

Gostaria que tivesse um condomínio construído por uma empresa que fosse destinado para idosos .,eu iria conhecer!!

Responder
Lia de Souza 5 de fevereiro de 2020 - 00:34

Já tem na Paraíba e PR está construindo em várias cidades condomínios de casas para quem mora sozinha e tem baixa renda. São casinhas individuais, todas térreas, para pessoas que ainda cuidam de si mesmas. Há uma área de convivência. Existem condomínios privados nesse estilo, SP tem vários. Podem receber visitas, mas não podem ficar. Crianças são restritas, afinal, se estão onde estão é porque não sobrou lugar na família, esta então não pode se enfiar na comunidade como se fosse parte dela. Em geral, não são donas, as pessoas pagam um tipo de comodato, quando morrem ou vão embora, não deixam direitos para herdeiros. A mãe da Ana Paula Arósio é ”sócia” num assim. O modelo do PR é governamental para pessoas até 6 salários mínimos, em SP até 10 salários.
O lado ruim é que muita gente que foi viver assim e ama o lugar, mesmo tendo família presente e tal, caso apresente limitações física, elas aparecem depois dos 80 em diante. São mandadas embora simplesmente, ou para asilos tradicionais para esperar a morte, o para as famílias e mesmo amorosas a adaptação é complicada.

Responder
Telma O Ferreira 3 de junho de 2019 - 09:30

As Construtoras já deveriam ter projetos e construir condomínios para idosos. Eu gostaria de morar num lugar assim.

Responder
Lixandra 3 de junho de 2019 - 04:20

Maravilhoso temos que nos unir e contruir nosso final do futuro, as construções deveriam olhar para esse mercado.

Responder
Maria das Graças Oliveira 3 de junho de 2019 - 01:16

Se surgir algo assim em SP, conyem comigo

Responder
Carmela Dell 11 de junho de 2019 - 22:53

Olá! Também sou de SP e tenho interesse

Responder
Rosi Gomes 23 de janeiro de 2020 - 21:03

Tambem gosto da idéia. Por favor, se tiver algo assim no Brasil, gostaria de participar.

Responder
Maria de Fátima Santos 2 de junho de 2019 - 23:52

Adorei a idéia , bom seria tivesse aqui no Brasil Aqui no ABC tenho certeza que teria muitas Adesões!.

Responder
Edviges Alves 2 de junho de 2019 - 21:56

Fiz 60 anos e esse é meu ideal de vida. Me mandem informações sobre lugares e condições.
Obrigada

Responder
Antonella 2 de junho de 2019 - 21:35

Perfeito! Desde que as regras sejam seguidas! Penso que me daria bem vivendo assim!! E já penso nisso faz um tempo!!

Responder
FERNANDO HENRIQUES 2 de junho de 2019 - 20:11

Essas francesas sempre na vanguarda. Viva a França

Responder
Evelyn 2 de junho de 2019 - 16:42

Adorei a ideia
…se aqui no Rio de Janeiro tiver um grupo assim.
Tb quero.

Responder
Solange 5 de junho de 2019 - 11:23

Achei bem interessante, mas acrescentando algumas coisas, como a possibilidade da pessoa caso necessite, poder ter acompanhante. De repente até formar um grupinho de acompanhantes terceirizadas, que possam ser chamadas quando necessário.
Sou do Rio.
Solange

Responder
Lucia 9 de junho de 2019 - 20:27

Também sou do Rio, 60 anos. Há algum tempo procuro uma forma de morar e viver dentro dos padrões descritos.
Acho que poderíamos tentar formar um grupo para estudar as possibilidades aqui no Rio.

Responder
Eni Braga 5 de junho de 2019 - 21:13

Qual seu endereço?? Eu também!! Desejo montar um grupo assim

Responder
Anair 2 de junho de 2019 - 15:19

E quando a pessoa não pode mais fszet nada ? Quem cuidará????

Responder
Sandra 3 de junho de 2019 - 09:14

Quando não conseguem fazer as coisas delas, elas vão pra outro lugar? Porque elas têm que ser independentes?
Aí, elas podem até voltar para a família delas?
Não será melhor elas ficarem quietinhas nas casas delas, junto com a família que ela sempre viveu?
Quem disse que viver com marido e filhos, necessariamente perde a liberdade, vira escrava, e se torna dependente?
Existem pessoas que são obrigadas a fazerem isto, porque não tem ninguém na vida. Se vc tem sua família, eu não vejo motivos pra viver esta aventura de auto afirmação e depois com o tempo voltar pra família ou outro lugar pra poder esperar a morte chegar.
Não gostei desta idéia. Eu moro com meu marido e um filho solteiro. Cada um de nós vivemos nossa vida, respeitamos a individualidade do outro, nos amamos e nos cuidamos.

Responder
naiani 3 de junho de 2019 - 17:55

verdade dispensam a familia depois tem que voltar para ela…não me serve

Responder
Maria Alice 14 de junho de 2019 - 08:23

Vão para o hospital e depois o cemitério.

Responder
Maria Alice 14 de junho de 2019 - 08:28

Não. Vão para o hospital e depois para o cemiterio

Responder
Rosa Maria 4 de junho de 2019 - 13:11

Concordo plenamente com VC.. não existe nada melhor que a familia…

Responder
Eunice 4 de junho de 2019 - 13:42

Você tem razão em parte.Acho que deveria ser encontrada uma outra solução, para o final da vida. Ser devolvida à família ou asilo, não soluciona o problema da velhice. Amigos são para todos os momentos. Mas, você falou da família como apoio constante. Elas falam de quem já não tem companheiro e não quer viver na família dos filhos

Responder
Maria Ruiz 4 de junho de 2019 - 22:14

Você leu que todas elas são ou viúvas, ou solteiras ou divorciadas?

Responder
Beatriz 6 de junho de 2019 - 14:59

Simples…. essa proposta não é p vc….

Responder
Ana Maia 9 de junho de 2019 - 11:20

Não gostou da ideia porque não vive sozinha…esta a pensar só em si!!!

Responder
Mari 2 de julho de 2019 - 12:12

Por favor, leia a matéria por inteiro, são mulheres viúvas, divorciadas ou solteiras que não querem morar com os filhos.

Responder
Alva 23 de janeiro de 2020 - 08:32

As batatas são “feministas” e tem apoio de uma prefeitura “comunista” pra mim isso não serve. Vc tá certa

Responder
Adenir 24 de janeiro de 2020 - 09:02

Pois é, fica na sua então. Tenho 73 e sou muito feliz morando sozinha

Responder
Altamira 26 de janeiro de 2020 - 02:00

Lá cuida uma das outras , acredito que entre pessoas que fazem parte desse grupo, tem mais amor que certas pessoas da própria família, o amor seria em primeiro lugar.

Responder
Neusa Moreira Rodrigues 28 de fevereiro de 2020 - 23:42

Quero o endereço em Paris, dessass senhoras .
Adorei a ideia tenho 65 anos. Quero ficar aí 15 dias no mês final de abril e maio2020. Como me comunicar com essas senhoras?
Obrigada

Responder
nelia 2 de junho de 2019 - 13:28

Seria muito bom se uma construtora fizesse Condominios com quarto e sala para idosos. Eu compraria.

Responder
Ilka 3 de junho de 2019 - 06:24

Eu também gosto da ideia, eu também compraria.

Responder
Sonia Lima 22 de julho de 2019 - 23:37

Também gostaria muito de viver num lugar assim.

Responder
Altamira 26 de janeiro de 2020 - 01:56

E assim mesmo que eu quero tbm , viver sem preconceito, mts pessoas iriam ser mais felizes, queria mt Está nesse meio . Estou pronta pra ir

Responder
Eni Braga 5 de junho de 2019 - 21:07

Adorei !! Quero fazer parte tb de algum projeto que tenha intercâmbio …. estou me convidando

Responder
Lutz Maria Krinninger 2 de junho de 2019 - 12:41

Ótima reportagem..eu nao conhecia..sempre desejei terminar os meus dias livre sem dever ou dar satisfaçao a ninguém..Super inteligente a forma como escolheram terminar as duas útimas décadas da vida!!!

Responder
Angela Maria Ribeiro 25 de janeiro de 2020 - 11:56

Interesso por esse tipo de projeto de Vida.

Responder
Fernando Fragoso 2 de junho de 2019 - 12:38

Construir ao lado Não tocar no Sistema,criar o nosso Sistema ao lado. Não nos chateiem somos cooperativistas. Adorei.

Responder
lilian 3 de junho de 2019 - 09:20

é isso aí… gostei… porque não???

Responder
Maria da Penha 22 de janeiro de 2020 - 14:12

Onde você vive?
De-me seu contacto por favor.

Responder
MARGARETH TORRES FRANÇA 2 de junho de 2019 - 11:58

tenho 61 anos gostaria de oferecer minha cidade minha casa para construir um projeto deste.Sempre sonhei com isso.

Responder
Vera Lucia rissato 2 de junho de 2019 - 22:27

Que bacana

Responder
Ilka 3 de junho de 2019 - 06:22

Gostei da ideia, sua cidade é aonde?

Responder
Adriana 26 de janeiro de 2020 - 11:02

De onde você é? Também estamos pensando nisso por aqui. Osorio, RS

Responder
Marli 3 de junho de 2019 - 10:41

De onde vc é Margareth? Sou de Porto Alegre, 55 anos. Penso em 10 anos estar livre pra construir algo assim. No momento é inviável, mas naonoaro de pensar nisso. Não posso ficar parada que morro!

Responder
Marisa 3 de junho de 2019 - 15:01

Sempre tive esta ideia tambem

Responder
IVANI 5 de junho de 2019 - 05:27

Me chama!

Responder
Jane Alice 7 de junho de 2019 - 13:46

Eu também sou de Porto Alegre. 68anos. Sonho com um lugar assim, mas perto do mar.

Responder
Deise 23 de janeiro de 2020 - 04:38

Eu também, sempre vivi junto ao mar.

Responder
Mabel 25 de janeiro de 2020 - 18:11

Eu tb adoraria que fosse perto do mar!!!

Responder
Marcia 3 de junho de 2019 - 17:54

DE onde você é, Margareth? Eu também tenho muita vontade de estar num projeto assim. Há tempos venho pensando em como criar um espaço assim. Poderíamos conversar e ver se as ideias batem.

Responder
Maria Dilce Desordi Borges 6 de junho de 2019 - 23:27

Eu também moro em Porto Alegre e gostaria de participar desse projeto…Me chamem…

Responder
Inez Martins Soares 4 de junho de 2019 - 05:44

Olá ! Também adoraria participar de um projeto assim!

Responder
Lurdes 5 de junho de 2019 - 14:03

Interessante a proposta

Responder
Vera Lucia Leão Pinheiro 28 de janeiro de 2020 - 16:19

Gostei muito desse projeto.

Responder
Eroli Leske 6 de junho de 2019 - 07:01

Meu sonho também

Responder
Isadora 20 de julho de 2019 - 11:06

Que maravilha! Quero envelhecer num lugar assim

Responder
Célia Almeida 6 de junho de 2019 - 19:06

Margareth se tu tem o espaço para construir, diga sua cidade. Como eu temos várias que tem bastante interesse. Vamos amadurecer está idéia?

Responder
Katia Simões 8 de junho de 2019 - 16:16

Eu achei interessante também ! Por que não amadurecemos a ideia ? Que tal fazermos um grupo e irmos sedimentando a ideia aqui no Brasil ?? Eu topo!!

Responder
xisto de medeiros filho 10 de junho de 2019 - 13:35

Kátia.
dispomos de gleba na Lagoa do Uruau, 170 ha, para possibilidades com idosos.
minha empresa tem 40 anos e eu 79.
estamos a frente pelo demérito dos demais.
expertise: se identificada a necessidade dispomos de possibilidades suficientes a cada necessidade, com abordagem sistêmica e regime turn key.
diferencial competitivo: transformar ideia de seu habitat posto em uso e operação, com avaliação pós ocupação.

veneza construções e planejamento ltda/1979, 09422767000183 – 85 999836815
empresa de base tecnológica/ graduada do PARTEC do NUTEC/2003 Fortaleza, CE
xisto de medeiros filho, engenheiro civil pela UFC/1965

Responder
Thereza Cartaxo A Linhares 5 de julho de 2019 - 15:24

Sou de Fortaleza e tenho interesse neste projeto de vida Como entrar em contato para conversarmos Tenho este sonho a muito tempo
Thereza

Sirlei Vargas 8 de junho de 2019 - 20:12

Projeto dos sonhos!

Responder
Terezinha da Piedade Ribeiro 11 de junho de 2019 - 10:37

Bom dia.
Se alguém quiser fazer esse tipo de hotel no Brasil pode contar comigo. Eu agradeço.

Responder
FRANCISCA ELIETE DA SILVA DUARTE MATTO 23 de janeiro de 2020 - 13:24

olá Boa tarde

Estou interessada neste projeto

Responder
Neuza 24 de janeiro de 2020 - 10:44

Margarete qual tua cidade?
Mulheres que tenham esse ideal de vida compartilhada, bora montar um grupo pra conversar e traçar as metas. Venho a muito tempo pensando nisso e gostaria de ver e ter esse objetivo oficializado de verdade. Precisamos de organização para isso. Sair do sonho e viabilizar a ideia. Que tal? Sou do Rio Grande do sul mas atualmente moro em Florianopolis.
Sou professora aposentada, ainda não tenho 60 anos mas estou bem pertinho…hehehe….abraços fraternos e aguardo retorno de pessoas que realmente queiram se organizar.

Responder
Margarida Cardoso 24 de janeiro de 2020 - 22:43

Gostaria de conhecer um lugar assim…
Penso muito em morar com um grupo desse jeito.

Responder
Lourdes 2 de junho de 2019 - 09:55

Desde os quinze anos reflito sempre sobre isso e é um sonho antigo, compartilhado com amigas queridas hoje, todas na faixa de 60 a 70. Ler sobre iniciativas que dão certo é um estímulo.

Responder
Eliete da Silva Coelho 8 de fevereiro de 2020 - 08:52

Adorei a idéia ! Tenho 58 e gostaria muito de me juntar à uma comunidade desta. Só não gostaria de viver sem atividades, mesmo porque ainda necessito do trabalho fora de casa para sobreviver financeiramente; mas o projeto é o melhor que existe !

Responder
Angelina Camurca 16 de fevereiro de 2020 - 21:19

Bacana. Quando precisar, gostaria de mirar em um lugar assim.

Responder
Marcia Sigrist 2 de junho de 2019 - 08:30

que bárbaro! adoraria viver num.lugar assim, com pessoas animadas e de bem com a vida!

Responder
Sonia Lima 22 de julho de 2019 - 23:35

Também gostaria muito de viver num lugar assim.

Responder
Suely Linhares 26 de julho de 2019 - 23:03

Essa vida já meio que levo aqui moro num abrigo mas ajudando na administração dele ..moro numa casa independente do abrigo…tenho já um morador que tem um pequeno guarto e banheiro mas como gostaria de ter mais gente conosco

Responder
Dalva Maioral 12 de fevereiro de 2020 - 21:20

Gostaria que aqui no Brasil tivesse um lugar assim, infelizmente o que temos são deposito de idosos. Tenho 68 anos sou viúva, moro sozinha, tenho três filhas, trabalho sou totalmente independente.

Responder
Ana 17 de fevereiro de 2020 - 07:54

Vamos fazer um grupo de discussão?

Responder
Erna Uhlig Mocellin 2 de junho de 2019 - 08:19

Achei muito legal. No Brasil seria interessante.

Responder
Natercia Medrado 17 de fevereiro de 2020 - 08:10

Maria tb amei a ideia e penso que é possivel. Vou entrar em contato contigo. Natércia

Responder
Tânia Mara Bastos Pina 1 de junho de 2019 - 16:34

Adorei. To chegando aos 60 e ja gostaria de viver num espaço assim..

Responder
Roseli Silva Bueno 3 de junho de 2019 - 21:41

Gostei…muito

Responder
Maria da penha zimer 22 de janeiro de 2020 - 14:08

Estou pronta para formar um grupo assim…quem tiver os mesmos anseios podem me contactar.
[email protected]

Responder
Angela Maria Mees 24 de janeiro de 2020 - 10:43

Maria, topo conversar

Responder
Mabel 25 de janeiro de 2020 - 18:09

Eu também gostaria muitissimo!!!

Responder
Rosangela de Lima 13 de fevereiro de 2020 - 05:48

Eu tbm quero

Marione Cerqueira Costa 26 de janeiro de 2020 - 17:34

Eu gostaria também. Mas não me importo que os maridos estejam juntos. O meu tem 67 anos e eu tenho 63. Somos muito ativos e ambos aposentados.

Responder
Teresa 14 de fevereiro de 2020 - 19:29

Isso me interessa muito. 71 anos moro sozinha.

Lyade 13 de fevereiro de 2020 - 00:03

Maria da Penha eu sou a Lyade, sou de São Paulo, atualmente moro a 40 km de Brasília, em uma chácara e fazer e Viver em um lugar assim é meu sonho

Responder
Rose 13 de fevereiro de 2020 - 05:50

Eu tbm quero formar um grupo

Responder
Jaciléa 14 de setembro de 2020 - 23:15

Já sentia essa necessidade muito antes dos 60. Tou dentro!

Responder
Rose 13 de fevereiro de 2020 - 05:49

Eu quero muito

Responder
MARA Figueiredo 26 de janeiro de 2020 - 10:30

Meninas, eu fiz 61 este mês e ainda vou eu show de rock com filhos e neta. Bora ser feliz!

Responder
Rosangela de Lima 13 de fevereiro de 2020 - 05:47

Eu tbm quero

Responder
Sandra Kurzatkowski 26 de janeiro de 2020 - 21:54

Eu estou interessadíssima
Moro em Salvador mas posso mudar para onde tiver algo assim aqui no Brasil

Responder
Lilian Pratis 28 de janeiro de 2020 - 13:59

Eu TB gostaria muito

Responder
ANA CLAUDIA SANTOS LIMA 28 de janeiro de 2020 - 15:34

eu também quero um lugar assim, tenho 58 anos,adorei essa idéia , como fariámos isso aqui no Brasil e ainda em Curitiba?

Responder
adila 18 de setembro de 2020 - 10:18

Sou de Cuririba também, um lugar desse foi sempre o que idealizei

Responder
Eliete da Silva Coelho 8 de fevereiro de 2020 - 08:49

Adorei a idéia ! Tenho 58 e gostaria muito de me juntar à uma comunidade desta. Só não gostaria de viver sem atividades, mesmo porque ainda necessito do trabalho fora de casa para sobreviver financeiramente; mas o projeto é o melhor que existe !

Responder
Marisa 11 de fevereiro de 2020 - 12:40

Tenho 58, adorei esse projeto, eu já vivo assim mas minha comunidade é de uma só : eu. Kkk podiamos fazer contato e estudar um projeto assim

Responder
Dulce Capuci 13 de fevereiro de 2020 - 07:55

Gostaria de participar.

Responder
Rosido do Amaral 23 de setembro de 2020 - 12:56

Moro em Jaraguá do Sul.Temos O Lar das Flores ,atende idosos,tem apartamentos. Lugar excelente,fica perto de minha casa.Se alguém quiser informação ligarei lá para perguntar.

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais