fbpx

Completamente flexível, esta professora de ginástica já completou os seus 90 anos

Por Maya Santana

O nome dela é Takishima Mika, ou “Takimika”. Apesar de nonagenária, ela tem uma rotina de muita disciplina

Quando a gente assiste ao vídeo de Takishima Mika, 90, fazendo ginástica, quase se virando pelo avesso, não há como não se perguntar como é que essa danada conseguiu chegar tão longe na vida com toda essa maleabilidade? Lendo a história dela, a gente entende. Primeiro, o rigor e a disciplina, que são parte da cultura japonesa. Depois, ela não pára. Com essa idade, levanta-se com os passarinhos, cedíssimo, e corre quatro quilômetros. Ao longo do dia, mexe-se o tempo todo e ainda dá aulas de ginástica pela internet. Seu sonho é chegar aos 100 anos fazendo a mesma coisa.

Leia sobre Takishima Mika neste trecho do artigo de Sílvia Ruiz, do blog Ageless, publicado pelo Uol:

Quando me deparo com alguém como a japonesa Takishima Mika, ou “Takimika”, me dá uma esperança enorme de chegar aos incríveis 90 anos com essa qualidade de vida. E mais: não importa se você tem 40, 50 ou 60 e está fora de forma. Sempre é tempo de começar e mudar o destino (eu mesma só peguei firme no exercício aos 46, há quase 5 anos). Takimika só começou aos 65 anos.

A expectativa de vida no Japão é bem alta (84 anos, contra 75 no Brasil). Isso graças à qualidade da alimentação e ao fato de os japoneses valorizarem muito a atividade física e o combate ao estresse (com meditações e rituais). Mas, ainda assim, ela só iniciou na atividade física aos 65 anos. Ela conta em entrevistas que foi um comentário infeliz do marido sobre seus quilos a mais que a motivou a ir para a academia.

Takimika se tornou a mais velha professora de ginástica do Japão

Dona de casa e sedentária até então, Takimika acabou emagrecendo 15 quilos com os novos exercícios. Empolgada com os resultados, contratou um personal e passou a levar a sério os treinos de musculação, corrida e alongamento. Mais sensacional ainda foi o que veio a seguir: seu professor resolveu treiná-la para dar aulas em sua academia.

E assim ela virou a mais velha treinadora de fitness do Japão, estreando aos 87 anos (três anos atrás). Até mesmo durante a pandemia ela vem dando aulas online para sua turma de 20 alunos de que estão na casa dos 40 aos 60 anos.

Veja ela se exercitando. Apesar da gente não compreender o que diz, é muito bom observar como ela é elástica:

Rotina de atleta

Takimika dorme pouco, segundo ela. Pula da cama antes do sol nascer para sua corrida matinal (taí uma coisa que eu tenho inveja) de quatro quilômetros. Tem mais: ela finaliza correndo um quilômetro de costas para dar mobilidade ao corpo e treinar o cérebro.

O café da manha às sete horas é típico japonês: salmão ou outro peixe grelhado, natto (soja fermentada), ovos, tofu e kimchi (acelga fermentada considerada um alimento que melhora a microbiota intestinal, previne o colesterol e outras doenças). O almoço, em contrapartida, é um iogurte e uma banana.

Depois do café ela cuida da casa e faz alguns alongamentos e, mesmo quando está sentada no sofá vendo TV, mantém o abdome contraído e a coluna reta. O período da tarde é dedicado aos treinos de musculação, por pelo menos duas horas diárias.

Professora de ginástica, ela se exercita o dia inteiro e tem uma alimentação especial

O jantar segue o princípio do almoço, com muitos vegetais típicos da culinária japonesa, sempre acompanhado de uma boa taça de vinho (disso você gostou, né?). Ela evita conservantes e aditivos de alimentos industrializados.

Antes de dormir, Takimika trabalha no preparo de suas aulas no computador ou no celular e aprende inglês. Afinal, como ela mesma diz em sua biografia no Instagram: “Age is just a number” (idade é só um número). Seu sonho, segundo ela, é chegar aos 100 dando aulas e ajudando mais gente a chegar lá com a disposição e energia dela.

É claro que nem todo mundo vai ter a disposição e disciplina da Takimika para seguir uma rotina tão rígida, mas vale para a gente entender que dá, sim, para criar um caminho de saúde e bem-estar para nossa velhice a qualquer tempo. E que fazer exercícios e adotar uma dieta saudável são a base de tudo isso. Quanto antes a gente começar, melhor, mas sempre vamos colher resultados. Bora?

Veja também:

Laura Cardoso faz ensaio fotográfico aos 93, com todo o seu “carisma e alegria”

Nelson Motta: Nada envelhece mais do que reclamar da vida e cultivar nostalgia por tempos que não voltam

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

4 + 17 =