fbpx

O futebol gosta das mulheres?

Por Ingo Ostrovsky

Jean paulo fernandes filho, goleiro que agrediu a esposa, pode ser eleito o melhor do ano

Ingo Ostrovsky, 50emais

Cresce a popularidade do futebol feminino no Brasil. Marta é a grande referência, eleita pela FIFA 6 vezes Melhor Jogadora do mundo. A alagoana serve de inspiração para milhares de garotas que sonham brilhar nos grandes estádios do país. Hoje poucos tem dúvida de que as mulheres gostam de futebol. Mas será que a recíproca é verdadeira? Seguem 4 historinhas de futebol e mulheres.

O Goleiro Jean foi preso nos EUA em dezembro de 2019 depois de encher de socos a cara de sua então esposa. Ficou detido uma noite em Orlando, na Flórida. Liberado, voltou ao Brasil, foi afastado por seu clube, o São Paulo, e emprestado ao Atletico Goianiense. Chegando em Goiás, pediu desculpas “a todas as mulheres” e foi acolhido pelo novo clube, que resistiu às poucas críticas. Está na seleção preliminar do campeonato brasileiro e pode ser eleito Melhor Goleiro da competição. Seu time faz boa campanha para quem chegou da serie B. No momento em que escrevo está em 13º lugar garantido na serie A do próximo Brasileirão.

Alexi Stival nasceu em Curitiba e desde menino tem o apelido de Cuca. Juntamente com outros 3 jogadores do Grêmio de Porto Alegre foi preso na Suiça em 1987, acusado de estuprar uma garota de 13 anos. Ficou detido 3 semanas. Ao voltar ao Rio Grande do Sul foi recebido como herói. Havia muitas mulheres torcedoras no desembarque. Dois anos depois, foi condenado por um tribunal suiço, mas cumpriu a pena em liberdade. Hoje é técnico vitorioso, levou o Santos à final da Copa Libertadores da América, torneio que ele já ganhou, com o Atlético Mineiro. Cuca é casado, tem filhas adultas, e no mundo do futebol é lembrado apenas como um cara supersticioso.

Ex-goleiro Bruno, acusado do assassinato de Elisa Samúdio, mãe de um filho dele, cumpre prisão semi-aberta

Ele deveria ser condenado a usar o sobrenome da namorada. Bruno “Samudio” Fernandes de Souza pegou 22 anos de cadeia acusado de assassinar Elisa, com quem teve um filho. O corpo dela nunca foi encontrado e há relatos horrorosos do fim que teria tido. O menino já tem 10 anos. Quando foi preso, Bruno era um dos melhores goleiros do Brasil. Fechava o gol do Flamengo, time pelo qual se tornou campeão brasileiro, havia sido convocado para a Seleção Brasileira e era ídolo de uma geração de meninos e meninas. Hoje cumpre prisão semi-aberta e tentou sem sucesso voltar ao futebol.

Robinho é craque, foi uma das grandes revelações do nosso futebol na primeira década deste século. Foi campeão brasileiro com o Santos em 2002 numa equipe que encantou o Brasil e lhe garantiu transferência para a Europa. Hoje é um pária. Foi condenado a nove anos de prisão por estupro em duas instâncias da justiça da Itália. Seu caso agora está na corte suprema do país europeu. Robinho jogou duas Copas do Mundo defendendo a seleção. Sem clube, tentou voltar ao Santos em outubro do ano passado. A repercussão junto a torcedores e patrocinadores, entretanto, levou o clube a cancelar a contratação. Ironicamente, quem saiu em defesa de Robinho foi o profissional que seria seu técnico no Santos, Cuca.

Leia também de Ingo Ostrovsky:

Se ela fosse homem, seria dentisto? E ele? Deveria ser economisto?

Procrastinador: Não deixe para amanhã o que você pode faze depois de amanhã

close

Inscreva-se para receber conteúdo incrível em sua caixa de entrada, todas as semanas

Prometemos que nunca enviaremos spam! Leia nossa Política de privacidade para mais detalhes.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

11 + 17 =

1 Comentários

Avatar
Tinda Costa 14 de fevereiro de 2021 - 09:52

Muito boa sua reflexão, Ingo! Tenho lido seus artigos e gostado muito. No caso desse, é lamentável que exista tanto machismo no esporte, em geral e no futebol brasileiro, em particular. Infelizmente, isso só espelha a realidade no país do futebol.

Responder