fbpx

Aglomeração a Dois

Por Maya Santana

Cena de amor protagonizada pelo casal de maritacas – elas que andam sempre em bando e parecem estar, constantemente, fazendo algazarra. O nome dessa pequena ave, tão parecida com o papagaio, vem do Tupi e significa “coisa ruidosa, barulhenta.” Na imagem, vemos apenas a silhueta do macho e da fêmea, equilibrando-se nas alturas, na contraluz do esplendoroso entardecer de verão.

Veja a galeria de fotos de Antonieta Goulart:

Veja também:

Carnaval sem folia

O Gado

Obra Prima

Música e máscara

Altivos e coloridos

Natureza e Arte

Verde e Amarelo

País do jeans

Que praia é esta?

Luz da manhã

Nuvens carregadas

Pote de Ouro

Beleza própria

Beleza própria

Rumo a Minas

Ponte JK

No posto de gasolina

Esse Olhar

Na Roça

Namoradeira

A Menina e o Pitbull

Teatro Nacional

Minas

Brasília de Lúcio Costa

Minas exporta suas montanhas

Chuva na Ponte

Rompendo a soberania do verde

Infância e tecnologia

Vendo o Mundo

Cerrado Mineiro

Planalto Central

Festival do Carro de Boi

Explosão de cores

Banânia

Na fazenda

Céu de Brasília

Um pintinho de estimação

Aqui no Meu Olhar, você vai ver uma fotografia nova todos os dias

Fotografia de hoje mostra um pedacinho de uma Minas religiosa

Uma imagem do campo, com todas as tonalidade

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

9 − seis =

1 Comentários

Avatar
Genoveva 14 de fevereiro de 2021 - 11:59

Adorei e assim nomeei:
“Maritacas em tempos de Covid”
Abraço de Genô

Responder